09/06/2015

Arco-íris das dores

Para Luana D’Oliveira
Envolto em um mundo liquefeito!
O metro brotou da pena do Bardo.
Correu metrificado das páginas em branco...
Ganhou vida própria...
Criou asas!
 Voou livremente pelo mundo
Transmutou-se em um rio de lava...
Incandescente!
Correu furiosamente para o mar...
Para jazer em ouvidos surdos!
A perde-se em mentes vazias...
Na realidade líquida da pós-modernidade!
***
E acima de um oceano de lágrimas...
Que o poeta chorou secretamente...
 Brilha tristemente um arco-íris de dores
Pois ali o Rapsodo morreu de amores
Pela sacrossanta musa
Afogado em suas próprias lágrimas
***
Enquanto o Aedo jaz solitário...
Na estante virtual!
Também jazem no mundo imaterial
A arte e a poesia...
E a musa santificada
No divino estro!
***
Jazem unidos!
Na contemporaneidade atroz...
Em um supermercado irreal...
 Que vende palavras surreais.
 
Samuel da Costa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos a sua participação.
Seja bem-vindo e volte sempre!
Quer comentar e não tem conta?!
1- Escolha a opção Nome/URL
2 - No espaço Nome coloque seu nome ou seu apelido
3 - No espaço URL coloque o link do seu site, blog, vlog, tumblr... (não é obrigatório).


CLUBE DO LIVRO MARANHÃO. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.
DESIGN E DESENVOLVIMENTO POR SOFISTICADO DESIGN.