12/01/2015

Sonhos de dominação - Aldo Fernando Alencar

Olá pessoal! Tudo bem?
2015 chegou com várias novidades!
Para vocês segurarem a emoção e a aflição, hoje temos a poesia de Aldo Fernando Alencar Serra:

Sonhos de dominação

Sonhei, desde o sempre triste
Controlar o que dizem não poder ser controlado
A paixão, o chiste, o chicote, a dúvida
Como animais enjaulados
Livres das probabilidades

E se não bastasse, talvez as vontades
Talvez as liberdades
Ou mesmo especificidades
Todas filtradas sob meu crivo de doutor

Sendas de frascos, vidros, rótulos
Todas as escolhas que não farei
Todas as respostas que um dia terei
Passando sob o meu olhar de pesquisador

Ah, mas não é assim que se joga
Não é assim que se vive
O joelho torce a rótula
O Fêmur fratura-se osso
A mulher me joga deboche
E é como se eu ouvisse

“Não tens poder...
Não tens poder...
Passageiro da vida
Não tens qualquer poder...”

Gostaram?
Se você quer colabora com postagens, basta enviar o seu texto para o CLM.

Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos a sua participação.
Seja bem-vindo e volte sempre!
Quer comentar e não tem conta?!
1- Escolha a opção Nome/URL
2 - No espaço Nome coloque seu nome ou seu apelido
3 - No espaço URL coloque o link do seu site, blog, vlog, tumblr... (não é obrigatório).


CLUBE DO LIVRO MARANHÃO. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.
DESIGN E DESENVOLVIMENTO POR SOFISTICADO DESIGN.